O senhor distinto (parte 1)

16 jan • A Vida como ela foiNenhum comentário em O senhor distinto (parte 1)

Um senhor distinto entra na repartição pública. Chama atenção de um funcionário graduado, também distinto, que faz questão de atendê-lo.

– Pois não?

O senhor distinto tira o lencinho da mesma estampa da gravata do bolso superior do paletó. Discretamente, enxuga o suor da testa.

– Eu queria pegar uma negativa que já solicitei. Só que esqueci o número do protocolo.

– Sem problema. Qual seu nome?

– Arnesto….

Julgando não ter entendido direito, o funcionário o atalhou

– O senhor quis dizer Ernesto, claro.

Uma sobra de aborrecimento vagueou pelo olhar do homem distinto.

– Se eu falei Arnesto é porque eu tenho certeza. A não ser que o senhor queira perguntar para meu pai, ou o tabelião que me registrou porque botaram A em vez de E. Pena que ambos estejam mortos.

Incomodado com a reação do senhor distinto, o funcionário que também era um senhor distinto resolveu fazer uma operação padrão

– Se assim é, só Deus sabe o motivo desse seu A em vez do correto E, seu…seu Arnesto.

– Doutor Arnesto, vamos se respeitar.

Deixando a distinção de lado, pelo menos internamente, pensou “mas que doutorzinho de merda. E com esse nome…”

– Mas antes do senhor me dizer seu sobrenome, preciso perguntar o número do protocolo. E moveu a cabeça em direção à cabeça do senhor distinto. São as regras.

– Regras burras, devo dizer. Talvez redigidas por alguém como o senhor.

(CONCLUI AMANHÃ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »