Escravos para sempre

7 nov • Caso do DiaNenhum comentário em Escravos para sempre

A terra de ninguém que o consumidor sempre precisa atravessar tem cada uma que só rindo para não chorar. Meu carregador do Samsung deu os doces – depois de pouco tempo, eles não carregam, rompimento de fios internos. Estava na praia e fui a uma loja muito conhecida que vende de tudo, CDs e periféricos. Vocês tem? Sim, disse o vendedor.

Tirou uma caixa da prateleira onde se lia R$ 41 e uns quebrados. Verifiquei que só tinha a perinha, o encaixe na tomada. Mas como é que vou carregar sem o cabo? Veio outra caixa onde se lia R$ 21,00. O cabo era mais curto que coisa de porco.

Na mesma rua arrisquei uma loja de operadora que não era a minha. Tem? Tem. Ele trouxe um daqueles plásticos em que se tira o ar de dentro onde se lia R$ 35,00 Aleluia! Ele encheu a nota fiscal e pediu meu nome. E o bocó aqui forneceu.

Significa que passarei eternamente a receber e-mails, telefonemas e mensagens vendendo algum serviço ou fazendo proposta do raio da operadora que não é a minha.

Ó vós que entrais, já escreveu Dante Alighieri, perdei toda a esperança.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »