Usos & Costumes

17 out • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Usos & Costumes

A feijoada

São poucos os restaurantes que mantêm feijoada durante o ano inteiro, e os dos hotéis têm data para começar e acabar. Nós gaúchos somos estranhos em alguns conceitos. Ah, feijoada só no inverno. Cada um, cada um, mas as melhores feijoadas que desfrutei foram as do Copacabana Palace, que funciona a milhão até no verão.

E a “feijoada”

Em algumas casas servem uma feijoada entre aspas, tão aguada que dá para comer de canudinho. É interessante como o consumidor define esse prato. O feijão propriamente dito pode ser água, mas tendo couve, laranja e farofa, ele aplaude.

Sugar Daddy, mas pode me chamar…

Todos já devem ter ouvido falar nessa figura, moda criada nos Estados Unidos e importada pelo Brasil como se fosse grandes coisa. Tecnicamente, Sugar Daddy é o homem que banca financeiramente suas parceiras (os). O estilo do relacionamento é polêmico, porém, é uma realidade do mercado de aplicativos de paquera. A plataforma do Universo Sugar é uma das que mais cresce.

…de coronel

Há uma multidão de mulheres de todas as idades que procuram esse tipo de paizão açucarado como garimpeiro procura ouro. O objetivo é o mesmo, literalmente. Em décadas passadas não tinha essa de daddy, as moças de vida airada chamavam os clientes de “paizinho”. Mas quem as sustentava por tempo mais longo era chamado simplesmente de coronel. Geralmente, homens com muito dinheiro e mais velhos, bem mais velhos que buscavam a teúda e manteúda do Odorico Paraguassu da novela.

O tempora, o mores

Quer dizer o seguinte: palavras novas para definir coisas antigas. O que mudou foi o que, no mercado, chama-se de agregar valor. Ou seja, começando por sofisticar a relação já pelo pomposo nome em inglês. E com plataformas virtuais, a coisa parece até algo razoável, desde que não se diga com todas as letras que é coronelismo sexual. Ó tempos, ó costumes, na tradução da frase de Cícero.

Tudo tão estranho

Eu só queria saber por que alguém que me chama de alemão fdp não pode ser processado, mas se eu falar isso de alguma minoria vou em cana direto?

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »