O óbolo

3 mar • NotasNenhum comentário em O óbolo

  Olha só o desaforo. Você caminha pela calçada, e um sujeito deitado com seus mijados pede dinheiro. É mijado sim, pro raio que o parta o politicamente correto. A maioria está lá por vontade própria, desistiram, sei lá. Ele nem mesmo estende a mão a uma altura confortável para receber o óbolo. Ele quer que você abra a carteira em plena rua, tire um troco e alcance a ele tendo que se curvar para isso. Claro que nem todos são assim, alguns estão doentes ou incapacitados. Alguns. Então penso numa frase de Louis Pasteur. Graças a ele você pode beber leite sem germens.

  “Teria a impressão de ter cometido um roubo, se passasse um dia sem trabalhar.”

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »