O capricho do Rolls Royce

12 set • A Vida como ela foiNenhum comentário em O capricho do Rolls Royce

 rolls royceEm 1958, a poderosa agência americana Ogilvy & Mather desenvolveu um anúncio que ficou célebre. Criado por David Ogilvy, mostrava que o único barulho que se ouvia dentro de um Rolls Royce era o tique-taque do relógio elétrico. E era mesmo. Essa marca inglesa de altíssima qualidade (hoje alemã, sai dessa Marechal Harris) foi fundada em 1903 e, até hoje, 65% dos carros por ela produziu continuam rodando.

 Também pudera. É tudo feito no capricho, na maior parte, manualmente, pelos melhores dos melhores. A carroceria de alumínio pesa apenas 550 Kg, para soldar o teto, dois soldadores devem trabalhar um de cada lado e soldar 40 cm ao começar e terminar ao mesmo tempo. A rigidez é tal que precisa de quatro toneladas de pressão para torcer a carroceria em apenas um grau. São cinco camadas de pintura, 45 quilos de tinta.

 Todos eles podem ter a cor que o dono quiser e também a decoração interna. Só o polimento dura cinco horas, e sem robô. Um risquinho que seja, incluindo o couro dos bancos, e tudo recomeça do zero. Há dezenas de detalhes assombrosos na fabricação de um Rolls que justificam seu preço. Ele é interminável. Já nos anos 1930, dizia-se que ele foi feito para rodar 1 milhão de quilômetros. Passou.

 Outras marcas também fabricavam carros para rodar centenas de milhares de quilômetros, mas o Rolls é imbatível. Não estou aqui pretendendo que todos os automóveis tenham igual rigor, mas em um tempo em que até um parafuso vital para a segurança tem obsolescência programada, é um caso clássico e eterno.

 Longa vida à Rolls Royce.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »