Memória imobiliária

8 out • A Vida como ela foiNenhum comentário em Memória imobiliária

No tempo em que se amarrava cachorro com linguiça e se alimentava burro com pão de ló, um poderoso industrial da área de beneficiamento de lã em cidade da Fronteira Oeste, estava passeando pelas ruas com seu possante e flamejante bólido. Fazia tempo que não passeava por passear.

Em determinado momento, passou por uma bela e bem conservada casa. Deu vontade de comprar. Anotou o endereço e foi ao cartório de registro de imóveis. Pediu à atendente o nome do proprietário. Depois de folhear as páginas de um grosso livro, molhando os dedos em uma almofada de água própria para esse fim.

A folhas tantas, e sabendo quem era o homem muito bem trajado à sua frente, o olhou espantado.

– Mas essa casa é do senhor!

Não era o velho Alza. Afinal, ele tinha uma centena de imóveis no município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »