Explosão no velório  

20 out • NotasNenhum comentário em Explosão no velório  

O defunto estava lá, na reta final para a cova ou para o crematório, família chorando, o último adeus, e, de repente, bum! O cara explodia. Não era comum mas também não era tão raro assim. Explicação: marca-passo. Os primeiros modelos implantados em cardíacos possuíam baterias muito sensíveis para temperaturas mais altas. Por um conjunto de fatores, alta temperatura do ambiente, ausência de ar condicionado, aumento da temperatura corporal pelo início da decomposição, o cara morria duas vezes.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »