O desaparecimento do aedes

17 mar • Caso do DiaNenhum comentário em O desaparecimento do aedes

91695-3

 Esperei com ansiedade a lista de Janot para ver se nela constava o mosquito aedes aegypti, o Famigerado, mas para meu desapontamento ele não estava. Melhor dizendo, salvo alguns nomes já manjados, a lista não é lista enquanto não vier a lume, é uma carta de intenções. Do ponto de vista jurídico, por enquanto serão citados, depois é aceita a denúncia. Mas do ponto de vista brasileiro, eles são culpados e condenados.

 O mosquito. Ou foi uma enorme falha de cobertura ou ele foi extinto, e isso em plena alta temporada do Famigerado, o verão. Salvo notícias esparsas, o transmissor do zika escafedeu-se. Também não se fala mais em dengue, que coisa. Sobrou alguma coisa para a febre amarela, mas do ponto de vista de cobertura jornalística, ele desapareceu. E claro que ele não desapareceu.

 Então, ele realmente sumiu ou a população ficou imune de um verão para outro, o que seria o fato imunológico do milênio. Foi mais uma dessas enormes falhas de cobertura ou exageramos nos anos anteriores?

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »