A beleza da bosta

13 jan • NotasNenhum comentário em A beleza da bosta

Lembro dos anos 1960, quando a nouvelle vague francesa produziu aos borbotões filmes incompreensíveis. Você tinha que dizer que não só tinha entendido como também era uma obra de arte. Na melhor das hipóteses, dizíamos que o filme era uma bosta, mas que o diretor era genial.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »