Vende-se pimentão

30 abr • A Vida como ela foiNenhum comentário em Vende-se pimentão

Rua Padre Chagas, bairro Moinhos de Vento, loja de vinhos finos. Meu amigo João Nadir escolhia algumas preciosidades para enriquecer sua adega quando entra um sujeito corpulento, bronzeado, meia idade, colar de ouro no pescoço, camisa aberta. Não precisava nem falar para adivinhar que era carioca. Chegou ao balcão e foi derramando palavras no chão.

– E aí gente boa, tudo nosh trinques? Legal essa parte da cidade, goshtei muito e goshto muito também dos gaúchos. Mash por favor não me apresente cashtelhanosh, eu deteshto argentino e uruguaio, taish me entendendo?

Enquanto falava olhava pra o baixinho João Nadir. Como todo nativo de Uruguaiana, na Fronteira Oeste, o espanhol era sua segunda língua. Quando a trova do carioca terminou, João Nadir deu de ombros.

– Se asi lo dices…

De repente, os fregueses descobriram que a casa também vendia pimentão vermelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »