Silêncio ensurdecedor

1 jun • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Silêncio ensurdecedor

   Gostaria de ser mosquinha de provedor para saber o que a plebe ignara conversou e assuntou sobre a greve e desabastecimento. Os grupos do Wats da classe média são razoavelmente conhecidos, até porque não há consenso. Cada cabeça uma sentença. Mais uma vez, a classe média – ou o que sobrou dela – é a ponta do iceberg; a parte submersa, ou 90%, não se reflete na superfície. O que pensa o cara de salário mínimo, da vila e do subúrbio é um dos mistérios populares.

No entanto…

   …todo o espectro político enche a boca para dizer que falam em nome do povo. Logo, ele, tão sem voz com baixa potência para ser ouvido. Tudo sempre com um partido se arvorando arauto e porta-voz do povo. Mas, em seguida, a maionese desanda, e o povo é o povo da cúpula partidária e dos cupinchas que volteiam em torno dela.

É no bolso

   Vai e vem greve e uma verdade sólida permanece: quando a Justiça do Trabalho diz que a greve é ilegal e estipula um valor alto de multa, caso a categoria não volte ao batente em seguida, é nesse detalhe que as paralisações param ou continuam. O TST tinha estipulado multa diária de R$ 500 mil para o sindicato dos petroleiros. Não deram pelota, mas aí entraram na mira da Justiça. O Tribunal aumento o valor da multa diária para R$ 2 milhões. Com essa paulada, e considerando que o imposto sindical caiu, a turma desistiram, como dizia um antigo sindicalista.

Multa zerada

   A questão é que multas em greves várias, geralmente, são perdoadas depois do acordo com os patrões, incluindo corte do ponto. E é por isso que greve no serviço público tem sobrevivência garantida. O patrão, prefeito, governador ou presidente, costuma perdoar e pagar os dias parados.

   Como dizia o companheiro Lula nos anos 1980, greve sem corte de ponto não é greve, é festa.

Deu no G1

   Após ter sido cassado pelo TRE em março, o prefeito de Bom Jesus, Frederico Arcari Becker (PP), teve o mandato restabelecido por decisão do Tribunal Superior Eleitoral. As novas eleições marcadas para o próximo domingo (3), porém, foram mantidas, com três candidatos disputando o pleito.

Como é que é?

   Para o bonde que eu quero entender. O alcaide foi cassado e depois reconduzido, mas mesmo assim vai ter eleição? Ah, mas falta julgar o mérito, isso e aquilo. Por isso que estrangeiro não consegue entender o Brasil e suas leis. Nós não conseguimos, imagina eles.

Pela metade

   Leis ou portarias pela metade são a nossa especialidade. No auge da greve/locaute, um produtor rural do Interior do RS doou centenas de frangos para quem os quisesse a fim de evitar que morressem de fome ou se canibalizassem. Só que uma Portaria da Anvisa proíbe que empresários doem comida. O espírito do diploma legal certamente é evitar que restos de comida sejam distribuídos. Mas espírito precisa ser claro e explicar bem explicado se vale também para comida viva.

Perigo na área

   Se um fiscal zeloso quiser aplicar a portaria no distribuidor de frangos, o coitado pode curtir o sol ao quadrado ou dar explicações pelo resto da vida.

Jornal do Comércio

   Leia e assine o JC clicando aqui.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »