Sete homens e um baile

3 dez • Caso do DiaNenhum comentário em Sete homens e um baile

   É preciso ser muito ingênuo para achar que os 150 homens da Força Nacional de segurança consigam conter a criminalidade em Porto Alegre, o que dirá da Região Metropolitana. Tirando um impacto inicial em uma ou outra intervenção pontual, não tem como. A ressaca vai ser pior. Com todo o respeito, eles não saberiam nem ir do Centro ao bairro Partenon sem GPS.

  É o mesmo romantismo que leva o leigo a achar que o Exército nas ruas assusta o Crime S.A. Nem assusta, nem teme. Levariam um baile porque não são preparados para isso. Estão vendo muitos filmes, como um dos anos 1960, 7 Homens e um Destino. Botar uma tropa de choque para o dia a dia só funcionou com o ator Yul Brynner.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »