Samba molhado de uma nota só

21 out • Caso do Dia1 comentário em Samba molhado de uma nota só

   O Brasil de hoje está dividido em partes: as investigações da Justiça federal e prisões da lava-jato, a ação enérgica da Polícia Federal, a crise econômica e a crise política, Dilma cai-não-cai, mais o deputado Eduardo Cunha. É enfadonho

   Cá no Sul ainda temos o pesadelo dos temporais, das chuvas constantes, da falta de dinheiro do Estado. Se eu tivesse que explicar para um estrangeiro o quanto subiu o Guaíba, diria que se o prefeito José Fortunati cruzasse a ponte do Guaíba de pé um uma canoa teria que se abaixar para não bater na borda. Claro, a greve dos bancários irrita, mas quem precisa deles, não é mesmo? Igual, estamos todos pelados.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

One Response to Samba molhado de uma nota só

  1. nanico disse:

    Cá no sul,com acento ou sem,estamos na mentalidade Bovina como dizia Paulo Brossard de souza Pinto
    Agarrados a uma cadeira de balanço enquanto o boi come a vaquinha e esperando que dê(com acento) cria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »