Os perigos da flatulência

27 out • A Vida como ela foiNenhum comentário em Os perigos da flatulência

Há anos, rolou na internet a foto de uma vaca argentina com uma espécie de mochila no lombo, uma geringonça que canalizaria gases intestinais a fim de armazená-los para posterior queima em algum motor, se bem entendi. Uma das acusações que se faz aos bovinos é que o metano que expelem estaria entre as causas do efeito estufa. Poderiam também ter dito que lavouras como a do arroz também expelem metano. No popular, o pum!!

Fiquei um pouco receoso de falar nisso, porque sempre pode aparecer um protesto com faixas de “Abaixo o arroz carreteiro!” ou “Carreteiro é assassino da natureza!”. Mas, e se a moda pega, com bombas como a dos postos de combustíveis vendendo pum! de vaca, com a própria estacionada no lugar da bomba? Ao frentista caberia a inglória tarefa de levantar o rabo da vaca (ou boi) com uma mangueirinha acoplada e enfiá-la no bocal do tanque.

– Quantos litros de pum! vão hoje, doutor?

– Completa.

Mas aí vem o problema. O governo ia querer fundar a estatal do Pum! E extraí-lo até no pré-pum! Para a política de preços criariam a Agência Nacional do Pum!, ótimo cabide de empregos. Os motores dos carros teriam que ser triflex, álcool, gasolina e pum!. De repente o pum! entra na cesta básica, porque não?

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »