Palmas que ele merece

23 out • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Palmas que ele merece

aplausos

Uma salva de palmas para o companheiro Gilmar Mendes, que anulou o MP do presidente Bolsonaro sobre publicidade jurídica de graça no Diário Oficial.

Salvar um monte de jornais de municípios do interior, e até uma grande imprensa.

Com uma correção, tudo volta a ser como antes no quartel dos Abrantes. Ou quase tudo.

Imagem: Freepik

NUNCA MAIS

Mas vale o mesmo raciocínio que fiz aqui quando o Capitão desabrochou um MP. Infelizmente, o mercado público, que já vem definido há muitos anos, ainda precisa da publicidade legal para sobreviver. Uma coisa é certa e vai além dessa correção: o mercado público para mídia impressa nunca mais será o mesmo, Conservado pela publicidade legal.

MUTATIS MUTANTIS

E não tão devido à nova mentalidade dos anunciantes. Com a Lei de Proteção de Dados, que passa a vigorar em agosto de 2020, julgue-os adequados para e-mails que avaliam a imprensa enviada para jornalistas ou para qualquer mortal que seja o Grande Irmão O Google tenha capturado qualquer coisa, objeto ou preferência que você deve ter mandado para sua gravação e em alguns minutos remota para onde ela está vendendo o produto, por exemplo. Ano que vem, ou o autor da mensagem terá que dizer, se for o caso, onde o seu email será enviado.

SÃO TANTAS AS EMOÇÕES

Um efeito direto da lei vai impactar como assessorias de imprensa. Ante essa ameaça em potencial, vá ter que elaborar uma estratégia para driblar a legislação – no Brasil se dribla tudo menos ou jogador que desvia o driblar e não dribla e perde o gol. Ou se adaptar aos novos tempos de criatividade. Como? Se eu soubesse não escrever aqui, vender para os grandes anunciantes.

AS SAGRADAS ESCRITURAS

Hoje, como postas hoje, como avaliadoras domésticas, digamos assim, têm uma posição relativamente moderada. Manda o release e adeus; quando o cliente recebe uma licença, liga para o colunista ou editor para ver se consegue uma brecha. Como já diziam como Escrituras, muitos são os selecionados, poucos os escolhidos.

NO TEMPO DO ONÇA

Minha última incursão no mundo das agências de propaganda não foi nos últimos anos de 1970. O jogo era assim: as agências mantinham jornalistas que faziam papel ou hoje quem é assessor. Mas não era assim, manda e o resto é um Deus aberto, não senhores. A direction cobrava O APROVEITAMENTO de informações para poder cobrar ou phi. Sem publicação ou aproveitamento em outra plataforma, nada de phi, nada de graça. E uma cara amarrada do cliente.

O BRASIL QUE DÁ CERTO

A Braskem estima um potencial de crescimento de 8% ao ano no mercado de tampas. Uma empresa que atende a essa demanda utilizando resinas renováveis ​​e pós-consumo, além dos produtos utilizados (polietileno e polipropileno). A Braskem anunciou na Feira K, na Alemanha, que unificou os seus produtos no segmento de tampas para facilitar ao cliente a escolha do material que deseja usar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »