• Cry for me, Argentina

    Publicado por: • 3 jun • Publicado em: A Vida como ela foi

    argentina-brunetti-f9d5e0e4-cb80-48a4-87f0-d9a1df31c48-resize-750Revi o clássico “A felicidade não se compra”, de 1946. No elenco está uma atriz cujo nome é Argentina Bruneti, nascida em 1907 e falecida em 2005. Viveu bastante, a senhora. Chamou minha atenção o seu prenome. Antes e depois da II Guerra Mundial, o vizinho pais gozava de grande prestigio. Além do tango, que era dançado em todo o mundo, suas carnes eram igualmente famosas, eles levaram décadas para criar o “churrasco argentino” e a cadeia de restaurantes europeus com o baby beef, de atração maior. Conheci um em 1985, em Berlim. Tudo isso foi para o brejo com uma sucessão de presidentes ruins, com o casal Kirchner ponteando a lista.

    Quando a guerra terminou, pouquíssimos países tinham mais reservas cambiais do que antes do conflito, entre eles os hermanos e o Brasil. No nosso caso, a maior parte foi gasta em importações inúteis, como celuloide, uma espécie de plástico mole, obra do presidente marechal Eurico Gaspar Dutra. Era piá quando ganhei suspensórios de  celuloide de cor azul.

    Quando li “Argentina Bruneti” fiquei matutando. Como pode dois países sair de uma situação cômoda para a desgraça em menos de 50 anos.  Certa vez em, 1971, fui a Libres, vizinha a Uruguaiana, e entrei em um restaurante para almoçar. Perguntei ao cordial garçom qual era o prato da casa.

    – Todos, señor, todos.

    Vocês precisavam ver o orgulho com que ele disse a frase. Dali para a frente viramos fumaça. Nós e eles.

    Publicado por: 1 comentário em Cry for me, Argentina

  • Manual da chatice

    Publicado por: • 3 jun • Publicado em: Caso do Dia, Notas

    O escritor e poeta Viriato Gomes escreveu um livro nos anos 1970 que ficou famoso, o Tratado Geral dos Chatos. É atual até hoje, e a população dos chatos não só se multiplicou como também surgiram chatos novos, maioria ligados ou adaptados aos tempos da internet.

    https://www.banrisul.com.br/bob/link/bobw00hn_promocao.aspx?secao_id=3691&utm_source=fernando_albrecht&utm_medium=blog&utm_campaign=repac&utm_content=centro_600x90px

    Ao mesmo tempo em que a variedade dos chatos também se multiplicou, surgiram exasperantes formas de chatice. E como no filme Eu Robô, até coisas puramente mecânicas ou eletrônicas adquiriram vida própria. Por exemplo, se você digitar a expressão “comida pronta” e enviá-la para alguém, em seguida virão ofertas e mais ofertas de aplicativos ou endereços de quem a fornece.

    O pior é que estas mensagens vêm de algum robozinho programado por outro robozinho humano que só sabe desencadear chatices. No Face, então, e mortal. E não há nem como xingá-los.

    A SAÍDA PICOLÉ

    É a pandemia. Corrigindo, o isolamento. Agora eu entendo melhor porque preso quer fugir. Em outras palavras, o coronavírus foi programado para gerar chatices. E pelo que dizem, vai longe. Na melhor das hipóteses, vamos para o semiaberto. Que é como comer picolé sem tirar a embalagem.

    AS DUAS CHINAS

    Uma é os Estados Unidos, a outra é a propriamente dita. Em linguajar gaudério, se bem me faço entender. É pior que briga de comadre quando uma encasqueta com a folhagem da outra entrando no seu pedaço. A diferença é que ambas podem dar tapas nucleares e arrasar com a economia mundial, já em pandarecos.

    CHINA LATINA

    Agora que falei em briga de china, lembrei que tem outra no ar abaixo do Rio Grande mexicano. Brigam até por conteúdo de celulares.

    DE VOLTA AO PALAVRÃO

    Depois de publicados em jornais, viraram palavinhas. Bunda e bosta já não ofendem mais a tradicional família brasileira, e passaram até a ser publicados por colunistas. O segundo estágio e quando aparecem em títulos internos, como já ocorreu. A glória mesmo será quando chegarem às manchetes. Imagino que a primeira editoria a usá-lo será a de Esportes. Posso até vê-la em todo seu esplendor.

    ESSE TREINADOR É UM BOSTA

    Pessoalmente preferiria UMA BOSTA, mas tem a opção superior:

    ESSE TREINADOR É UM BUNDA MOLE

    De novo, a questão de gênero. Melhor tirar UM da frase. Ai a bunda fica unissex.

    Publicado por: Nenhum comentário em Manual da chatice

  • Pensamento do Dias

    Publicado por: • 3 jun • Publicado em: Caso do Dia

    Tá de um jeito que nem vaca reconhece mais o bezerro.

    Publicado por: Nenhum comentário em Pensamento do Dias

  • Há uma espécie de prazer na lamentação, e maior do que aquilo que se pensa.

    • Marquesa de Sevigné •

  • O Brasil que funciona

    Publicado por: • 3 jun • Publicado em: Caso do Dia

    A Banrisul Corretora de Valores lançou o seu aplicativo para os clientes realizarem investimentos e acompanharem o mercado de renda variável. Na nova ferramenta, os investidores poderão comprar e vender ações, fundos imobiliários e ETFs (fundos de índice); examinar a sua carteira e as cotações dos papeis em tempo real; e analisar, comprar e vender pelo gráfico.

    Para o diretor-presidente da Banrisul Corretora, Nilvo Fries, o lançamento do app é um passo importante na modernização dos serviços da empresa. “Estamos colocando à disposição dos nossos clientes uma alternativa eficiente e ágil, proporcionando condições para efetuarem suas operações onde estiverem”, salientou.

    IARGS divulga: ARTIGO – Série “Reflexões sobre a Covid-19″. Título: “Como fica a pensão alimentícia na pandemia do Coronavírus?”, cujo autor é Diego Silveira, advogado, professor universitário e associado do IARGS. Para ser direcionado à leitura, clique aqui. 

    Publicado por: Nenhum comentário em O Brasil que funciona