• As cores da infância

    cores da infância

    Publicado por: • 21 out • Publicado em: A Vida como ela foi

    Criança, ainda, tentando aprender o mundo no curso fundamental no Grupo Escolar de São Vendelino, então Curso Primário, lembro do meu deslumbramento quando ganhei uma caixa de lápis de cor. O mundo podia ser pintado! Algumas semanas depois veio a fase 2 do deslumbramento, quando por acaso passei o lápis amarelo e a página do meu caderno ficou verde! Foi adiante misturando cores e recordo como obtive o lilás misturando vermelho e azul.

    O mundo não era só colorido. O mundo era meu. Pensei ter descoberto a roda, quando tempos depois fiquei sabendo que um italiano chamado Leonardo da Vinci tinha feito a MINHA descoberta 500 anos antes, o traidor da minha alegria de inventor. Era difícil obter conhecimento sem bibliotecas e principalmente saber o que procurar, então levei anos para descobrir que da Vinci criou a Teoria das Cores a partir das cores básicas, vermelho, amarelo e azul – a TV substituiu o amarelo pelo verde, resultando nas cores secundárias.

    Eu tenho um palpite sobre esse italiano. Ele era ou um ET ou um viajante do tempo. Não pode um sujeito criar tantas coisas, antever avião, helicóptero e dezenas se não centenas de invenções que usamos hoje com um cérebro humano, ainda mais cérebro daquela época. As descobertas básicas foram todas feitas lá atrás. Hoje só as emolduramos.

    Mas tive meus 15 minutos de deslumbramento, ah se tive. Ele só acontece na infância.

    Publicado por: Nenhum comentário em As cores da infância

  • Grande minoria

    Publicado por: • 21 out • Publicado em: Caso do Dia, Notas

    Quem manda no Brasil são as minorias. Mesmo que sejam apenas algumas dezenas ocupando as galerias dos nossos legislativos. Veículos de comunicação dão mais destaque às minorias que para um Maracanã lotado. Já contei aqui o caso da secretária da diretoria de uma indústria no Vale dos Sinos (RS). Liguei para ela e,a que ela atendeu, ouvi um barulho de algazarra ao fundo. Perguntei o que era.

    – É uma grande minoria que está em greve, ameaça invadir a fábrica.

    Definição perfeita.

    PEQUENA MAIORIA

    É a melhor definição para o que se convencionou chamar de maioria silenciosa. Silentes, não tem bancada federal nem estadual a defendê-la, logo ela que paga religiosamente os impostos, sustenta uma família inteira, dá educação aos filhos, trabalha feito um mouro para não raro ganhar merreca, é obrigado a aturar greves e passeatas que impedem seu ir e vir, não pode usar os serviços (ruins) do Estado porque grevistas impedem o acesso às repartições e por aí vai. É o saco de pancadas da sociedade. E quando faltam ao serviço, não têm o ponto abonado.

    TUDO DE NOVO

    Cá no Sul começam em breve os almoços de confraternização de final de ano das entidades empresariais. Como sempre, o ágape é precedido da análise do ano que chega ao fim e perspectivas para o ano novo que se aproxima. Como sempre, alguns economistas acertarão parte e outros errarão. Depois vem o almoço propriamente dito e as inevitáveis perguntas dos coleguinhas que não captaram a mensagem. Almoço de confraternização não é, ou não deveria ser, almoço de trabalho.

    PARÁGRAFO ÚNICO

    Tem coisa pior. Muitos fazem perguntas sobre respostas já dadas na apresentação dos cenários ou que foram perguntadas por colegas minutos antes da sua. Desatenção pura, uma praga das gerações atuais.

    GERAÇÃO NEM-NEM

    Uma bombinha relógio espera a Previdência nas próximas décadas. A juventude que ainda mora com papai e mamã e não raro não trabalha nem estuda, a geração nem-nem, vai se aposentar como? Se não começarem a trabalhar já, correm o risco da pobreza e perspectiva de trabalhar até morrer sem conseguir tempo de contribuição.

    ALUGO OU VENDO

    Uma metralhadora .50 (12,7 mm por 99 mm) como a apreendida com os assaltantes de Viracopos é encontrável nas boas casas do ramo clandestinas, endereços conhecidos pelo crime e pelo tráfico. Cadência de tiro entre 400 a 600 por minuto a uma velocidade de 916 Km/h e tem alcance útil de 1,5 mil metros. Carro-forte para ela é papel. Aliás, Viracopos é freguês de caderno do Crime S.A. E os criminosos estão cada vez mais armados com armas que fazem na comparação um 38 ou 9 mm seria arminha de pressão de parque de diversões.

    O FUZIL FERRARI

    Todos já viram documentários sobre snipers, atiradores de precisão, que usam fuzis de altíssima tecnologia embora não sejam para uso em combate. Um dos menos conhecidos é o russo SVLK-14S dispara balas .408 CheyTac de calibre de 10.36x77mm, que saem do cano a uma velocidade de 900 metros por segundo. O fabricante o define como a Ferrari ou Porsche das armas de precisão. Pode perfurar um trilho de três centímetros de espessura. Nenhum colete à prova de balas pode suportar essa força. O alcance é de 4 mil metros ou mais.

    A CEREJA DO BOLO

    Em compensação, os seguranças de Vladimir Putin utilizam armas com tecnologia e componentes americanos.

    O BRASIL QUE DÁ CERTO

    O advogado Diego Silveira palestrará no Grupo de Estudos de Direito de Família do IARGS sobre o tema “As diferenças entre união estável e namoro na interpretação do TJRS”, a partir das 12h, no 4º andar do instituto.

    Entrada aberta.

    Mais informações: 3224-5788.

    Publicado por: Nenhum comentário em Grande minoria

  • E Cristo? É uma anarquista que teve êxito. O único.

    • André Malraux •

  • Mérito Médico

    Publicado por: • 20 out • Publicado em: Caso do Dia, Notas

    O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers)  homenageou cerca de 150 médicos com 50 anos ou mais de exercício profissional com a entrega da Medalha Mérito Médico 2019. Dentre os agraciados, médicos formados a partir de 1947, como Arnaldo José da Costa Filho, registrado no Cremers com o número 378. O doutor Costa Filho, como é chamado, tem 97 anos, participa ativamente da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina e é intérprete de Lupicínio Rodrigues no grupo musical Médicos e Música.

    Outro homenageado é o médico do trabalho Ubirajara Resende Mattana, que nasceu em 10 de outubro de 1933. Com 86 anos recém completados, ele ainda atende em sua clínica, em Montenegro. O doutor Ubirajara foi escolhido para falar na cerimônia em nome de todos os homenageados.

    Para o presidente do Cremers, Eduardo Trindade, o reconhecimento a esses profissionais é a melhor forma de comemorar o Dia do Médico. “Temos que conhecer o passado para construir o futuro. Muitos desses profissionais ainda estão prestando serviço, o que é um exemplo para todos nós”, afirmou.

    O Hospital Moinhos de Vento teve uma programação especial nesta sexta-feira, 18 de outubro, quando se comemorou o Dia do Médico. O corpo clínico participa do tradicional café alusivo à data. O momento também será marcado pela homenagem aos profissionais que passam a compor a Galeria da Excelência Médica.

    Os médicos foram recebidos pelo CEO Mohamed Parrini e os superintendentes de áreas no hall do 8º andar do prédio B. No evento, são anunciados os quatro nomes que integram a galeria. O tributo busca valorizar profissionais que colaboraram com a história da instituição e a medicina no Estado.

    Um levantamento da ePharma, especializada no gerenciamento de benefícios de medicamentos, indica que aumentou a participação do consumo infantil na lista dos produtos mais vendidos nos programas empresariais de assistência farmacêutica. No primeiro semestre, 90.839 foram destinados aos filhos e dependentes dos beneficiários de até dez anos de idade. O volume corresponde a 7,8% do montante total, o maior percentual já registrado no banco de dados da empresa.

    Com 1.568 unidades comercializadas, o líder no ranking foi o Predsim, destinado a casos de rinite alérgica. Na sequência, aparecem o Novalgina (1.303 unidades) e o Alivium (1.287), para reverter dores e quadros de febre. Outros dois remédios para doenças respiratórias ocupam o top five – o Allegra, em quarto, com 1.281; e o Astro (para o combate à sinusite e à faringite) em quinto, com 1.188.

    Publicado por: Nenhum comentário em Mérito Médico

  • Elogios

    Publicado por: • 19 out • Publicado em: Caso do Dia, Notas

    A inspeção ordinária da Corregedoria Nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) encerrou suas atividades no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) com elogios ao funcionamento dos setores judiciais e administrativos da corte. A solenidade, que ocorreu no Auditório do TRF4, foi coordenada pelo presidente do tribunal, desembargador federal Victor Luiz dos Santos Laus.

    Representando o CNJ, o juiz federal Miguel Ângelo de Alvarenga Lopes, juiz auxiliar coordenador da Corregedoria Nacional de Justiça, exaltou “a boa impressão que toda a equipe de inspeção teve ao passar esses últimos dias pela corte”. De acordo com o magistrado, o corregedor nacional, ministro Humberto Martins, que não pôde estar presente no encerramento, também solicitou que fosse apresentado seus agradecimentos pelo acolhimento e sua felicitação pelo desempenho da prestação jurisdicional da 4ª Região.

    Laus agradeceu pelo reconhecimento e atribuiu os resultados positivos do trabalho jurisdicional ao empenho coletivo dos magistrados, servidores e demais colaboradores da 4ª Região. O presidente do TRF4 destacou a importância de esse esforço ocorrer de maneira contínua na instituição. “É uma equipe que trabalha junto pelo objetivo convergente de tornar a corte forte, desenvolvida e moderna”.

    Além de Laus e Alvarenga Lopes, participaram da cerimônia de encerramento o vice-presidente da corte, desembargador federal Luís Alberto d’Azevedo Aurvalle, a corregedora regional da Justiça Federal da 4ª Região, desembargadora federal Luciane Amaral Corrêa Münch, e o diretor-geral do tribunal, Gaspar Paines Filho.

    Publicado por: Nenhum comentário em Elogios