• País que fecha escolas abre presídios.

    • Ator Mário Tupinambá •

  • Confesso que matei

    Publicado por: • 19 jan • Publicado em: Caso do Dia

    Uma baratinha, aquela que vocês acham que é formiguinha e que aparece quando se deixa restos de comida – peguem uma lupa e confiram – passeava na beira do meu computador. Juro que ela me encarou, a criminosa. Ruim como carne, achava que sairia impune. Mas não contava com minha astúcia.

    Despejei em cima dela várias gotas de álcool, vá lá, do comum, desses de baixa octanagem. Cronometrei seu triste fim: a filha da mãe levou 27 segundos para parar de se debater. Por via das dúvidas, deixei submersa por mais dois minutos, para ela ver com quem estava lidando.

    Meia hora depois olhei para o que parecia um cadáver e, surpresa! Ela estava viva. Ela sobreviveu meia hora no fundo de uma piscina de álcool! Então apelei para a porrada, esmaguei-a com um livro. Depois vi que várias vieram para o velório. Tiveram o mesmo fim.

    Só espero que não me venham com os direitos humanos das baratinhas.

    Publicado por: Nenhum comentário em Confesso que matei

  • O ponto

    Publicado por: • 19 jan • Publicado em: A Vida como ela foi

    Em décadas passadas, quando o Brasil ainda tinha indústrias com expressivo valor porcentual em relação ao PIB, P. foi nomeado chefe do escritório do Ministério da Indústria e Comércio que, na época, tinha tanto e até mais importância do que a pasta da Fazenda.

    Homem de muito prestígio junto ao partido do governo, estranhei que P. não tivesse sido indicado para um posto de maior relevância. Um dia ele me convidou para conhecer o escritório, na Galeria do Rosário. Dias depois fui lá e fiquei até meio chocado. O espaço era liliputiano, cabendo apenas uma mesa com telefone, um sofá e duas ou três cadeiras.

    – Quero dizer que fiquei espantando, meu amigo. Achei que tinhas uma estrutura completa, azáfama de gente entrando e saindo, e agora vejo que parece cela de um frade. Pelo menos o salário é bom?

    – Para dizer a verdade, é uma bosta – falou ele sorrindo.

    – Então me desculpa, conhecendo como te conheço, não entendi. Qual a vantagem?

    Sempre sorrindo, ele me contou o terceiro segredo de Fátima.

    – É que o ponto é bom.

    Agora vocês entendem o mecanismo do poder subterrâneo.

    Publicado por: Nenhum comentário em O ponto

  • Jihad alada

    Publicado por: • 19 jan • Publicado em: Notas

    O Estado Islâmico está para o mundo assim como o mosquito do zika/dengue está para o Brasil.

    Publicado por: Nenhum comentário em Jihad alada

  • A inveja

    Publicado por: • 19 jan • Publicado em: Notas

    Li críticas sobre o fato do Pedro Bial ganhar R$ 5 milhões entre Globo e patrocinadores, comissões, para comandar o BBB16. É sempre assim. É por essas e outras que o Brasil está desse jeito. Brasileiro bom é brasileiro de salário mínimo. O resto é ladrão. A inveja é o sétimo Pecado Capital. Tá assim dela, ó…

    Publicado por: Nenhum comentário em A inveja