• O cais parado

    Fernndo-Albrecht-fala-do-atraso-dos-gaúchos-em-relação-às-obras-de-revitalização-do-cais-do-Porto-em-seu-blog

    Publicado por: • 17 set • Publicado em: Caso do Dia

    A maior caveira de burro do mundo está enterrada no Cais do Porto da Capital gaúcha. Haverá audiência pública hoje para ver se se removem obstáculos. Há anos que a novela se arrasta. Grupos contrários ao projeto são em grande parte os responsáveis pelo atraso. Êta nóis!

    Esqueçam o Centro de Porto Alegre brilhando novamente caso a Revitalização do Cais Mauá não se efetive. A classe média foi expulsa do Centro a partir do início dos anos 1990. O novo Cais poderá mudar as coisas e, no arrasto, dar condições para “povoar” a área central novamente.

    Publicado por: 2 comentários em O cais parado

  • A queda

    Publicado por: • 17 set • Publicado em: A Vida como ela foi

    Anos 1960, governo Ildo Meneghetti. Um assessor palaciano chamado Caio era useiro e vezeiro em mandar longuíssimos e caríssimos telegramas relatando problemas no interior, época em que as comunicações eram muito precárias. Só a VG (vírgula) e PT (ponto) não eram cobrados.

    Mesmo com reduções, chamavam a atenção do Caio pelos textos longos. Um dia, Caio radicalizou. Foi enviado para Montenegro para fazer um relatório sobre uma enchente do Rio Caí ameaçava o cais do porto da cidade. Ele foi lá, olhou e telegrafou mais curto que coisa de porco: “CAIS CAÍ CAIU PT CAIO.

    Publicado por: Nenhum comentário em A queda

  • Perdoa-me por me traíres

    Publicado por: • 17 set • Publicado em: Caso do Dia

    Líderes ou presidentes de nove partidos da base aliada do governo emitiram a “Declaração em Defesa da Democracia e do Mandato Popular”, resposta aos pedidos de impeachment. São eles o PC do B, PDT, PMDB, PP, PR, Pros, PSD, PRB e PT, informa Fernando Rodrigues do UOL.

    Eles representam 301 deputados, o que é um número expressivo e suficiente para barrar o impedimento da presidente. Porém – e sempre tem um – a taxa de infidelidade destes partidos ao longo das votações de interesse do governo é da ordem de 50%, acrescenta o colunista.

    Publicado por: Nenhum comentário em Perdoa-me por me traíres

  • Caixinha, obrigado

    Publicado por: • 17 set • Publicado em: A Vida como ela foi

    Esse negócio de Caixa 2 tem aspectos interessantes. Nos anos 1980, estourou um caso envolvendo uma multinacional alemã e sua subsidiária brasileira, que teria usado o Caixa 2 para algum esquema. No auge do escândalo, fui a São Paulo para um evento e almocei com o diretor de outra multinacional. Perguntei a ele como logo uma alemã séria entrou nessa fria.

    Multinacional não gosta de Caixa 2, respondeu. Na realidade, detesta. Se não por motivos fiscais ou éticos, porque uma contabilidade paralela permite o acesso de muita gente, e não apenas o operador titular. Resulta que você perde o controle e quando vê está ferrado, finalizou. Todo mundo meteu a mão.

    Publicado por: Nenhum comentário em Caixinha, obrigado

  • Visão microscópica  

    Publicado por: • 17 set • Publicado em: Notas

    Também por esta época, conheci um oficial administrativo da Assembleia Legislativa do RS que era uma lenda em matéria de eficiência. Funcionário de carreira, sua especialidade era passar pente fino no Diário Oficial e nos balanços das estatais. Ele era muito bom nisso. Lia as entrelinhas das entrelinhas, somava os números e descobria esqueletos de todos os tamanhos.

    Hoje, seria missão impossível uma pessoa só fazer essa tarefa, tal a complexidade do economia do(s) governo(s) e as estatais, autarquias, empresas de economia mista etc. Sem falar nas mais de 300 mil leis, portarias e assemelhados que temos. Aliás, nunca se chegou a um número total, tal a confusão.

    Publicado por: Nenhum comentário em Visão microscópica