Os batedores do chope

16 jun • A Vida como ela foiNenhum comentário em Os batedores do chope

No passado, quando todos os bar-chopes de Porto Alegre tinham a sua Mesa um, que batia ponto diariamente, de vez em quando vinha alguma revolução farroupilha que acabava com o grupo procurando outras paragens. O grupo então mandava um batedor para um discreto reconhecimento da concorrência. Um deles, um publicitário, levou tão a sério a empreitada que acabou incorporando o espírito de um índio shoshone chamado Coceira no Fiofó, segundo falou ao sair do transe. Não estranhem o nome. Sabemos que os peles-vermelhas davam aos filhos o nome da primeira sensação ou visão na hora que a criança nascia.

Para não deixar ponta solta na história do índio Coceira no Fiofó, seu espírito redivivo contou que o original morreu atropelado por uma diligência da Wells Fargo, em 25 de junho de 1876. Mesmo moribundo, forneceu a um alto oficial da cavalaria norte-americana a cor, idade dos cavalos e o retrato falado do cocheiro e do vice-cocheiro.  Nas vascas da agonia, deu detalhes, como o fato de um dos passageiros, uma bela senhora não ter os dois molares.

Infelizmente naquele fatídico dia chegou também a hora do milico, cujo nome era Custer, general George Armstrong Custer. Desde então, o espírito do shoshone Coceira no Fiofó atravessa as brumas do tempo à procura de alguém que precise dos seus serviços.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »