Os 20 anos da telefonia

18 jul • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Os 20 anos da telefonia

a privatização da telefonia foto Ivan Soares Ferrer

Neste 2018, completam-se 20 anos da privatização da telefonia gaúcha. Foi pioneira, custou muito dinheiro por imperfeições no contrato, deu muito dinheiro para alguns. Foi mal feito, enfim, mas alguém consegue imaginar a telefonia gaúcha se a CRT não tivesse sido privatizada? Como toda estatal que se preze, a diretoria mesclava indicações políticas com (poucas) técnicas. Então, estava sempre no vermelho e não tinha grana para aumentar a malha.

Foto: Ivan Soares Ferrer 

Investimento em números

Uma linha telefônica particular no Centro de Porto Alegre e, ao longo da avenida Independência, chegava a custar US$ 5 mil. E muita gente conseguiu alugar números de pessoas idosas e os alugava a terceiros por 5, até 10 vezes o valor que pagava para os velhos. Ou lá atrás, décadas antes, sentiu que número – não se investia no aumento da rede de acordo com a demanda – seria um bom negócio e foi comprando. Do dia para noite, michou. Pior ainda quando vieram os celulares.

Deu na ZH

“Por ampla maioria, os municipários de Porto Alegre decidiram, na tarde de terça-feira (17) encerrar a greve iniciada no dia anterior. O motivo é o recesso parlamentar, interrompendo votações na Câmara Municipal, onde tramitam projetos contestados pela categoria”.

Fácil, fácil

A facilidade com que se fazem greves no setor público é um espanto. E não lembro de prefeitos e governadores manterem a suspensão do ponto dos grevistas, apesar das juras em contrário. Por isso, elas acontecem. E quem paga o pato, nem precisa dizer.

Os festeiros

Como disse o companheiro Lula nos anos 1980, greve sem corte de ponto não é greve, é festa.

Vai ou não vai?

Lula permanece preso até quando? Esta deve ser uma dúvida atroz para os marqueteiros dos candidatos e para os partidos. Se ficar o bicho come, se correr o bicho pega. Mesmo inelegível, o PT vai carregá-lo para cima e para baixo do país fazendo um alvoroço dos diabos. Se for solto depois das eleições, o que eu duvido, o PT ficará no prejuízo.

No fundo…

…é tudo especulação. Vai depender do Supremo. Segundo a ex-ministra do STF Eliana Calmon, ele vai ser solto em setembro. Quanto antes, melhor para Lula.

Poste certo, poste errado

Pelo que se viu até agora nas manifestações e passeatas feitos pelo PT, afora ao militância e sindicalistas, o povo propriamente dito não cerrou fileiras em torno da causa. Então, a dúvida atroz é saber se o poste que ele escolher como candidato terá mesmo capacidade de sacudir a campanha e trazer chance pelo menos razoável ou não. Teria sido o poste errado, então.

Também há chance de outros candidatos da extrema esquerda, como Guilherme Boulos, do PSOL, conseguirem atrair a atenção. Ele é bom de trova, fala bem, é articulado. Se Bolsonaro crescer de fato, nessa campanha curta, em tese, pode beneficiar o tucano Geraldo Alckmin. In média virtus. Assustado, o cara vai de Centrão.

Novidades?

O que eu vejo até entre os candidatos novatos são desistências. Lá e cá. Mas em uma coisa, quem esperava que imediatamente após a queda do Brasil na Copa, o circo começaria a pegar fogo, enganou-se. Estão todos comportadinhos esperando os programas eleitorais.

Caiu na rede social

Vai ser a eleição dos fake News nas redes sociais. Vai ter candidato que haverá de gastar mais tempo desmentindo sacanagens com ele do que falando do que fará se eleito for. E como esse povo é crédulo, minha Nossa Senhora!

Messias galácticos

De repente, pode aparecer um novo candidato a deputado que dirá ter sido abduzido por alienígenas, que o transformaram em apóstolo da nova era com mensagens de destruição caso a humanidade não se corrigir. Começando por elegê-lo. Periga fazer um bocado de votos, se for do ramo.

Moovie

A agência Moove alterou o quadro de sócios da empresa. Aira Franciosi, Denise Milão e Luana Rodrigues passam a compor a estrutura societária da Moove, ao lado de José Luiz Fuscaldo e Alberto Meneghetti – que ingressou como sócio-diretor em junho, para assumir a área de New Business e o Núcleo Agro. Aira Franciosi e Denise Milão ficarão focadas na gestão da empresa, e Luana Rodrigues segue responsável pela operação da agência.

Atendimento Domiciliar

A recorrente falta de tempo das pessoas que têm que conciliar a jornada de trabalho com as tarefas de casa e os cuidados com a família se tornam oportunidade para empresas oferecerem seus serviços onde o cliente estiver. Atenta a esse comportamento, a Óptica Foernges disponibiliza atendimento domiciliar para quem tiver interesse, independente do motivo, como informa o Diretor Comercial, Guilherme Foernges.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »