Oh, que povo divino

10 jul • Caso do DiaNenhum comentário em Oh, que povo divino

 Para marcar posição, vou dizendo, de cara, que nunca achei o povo sábio, como costumam dizer colunistas depois das eleições. O povo nunca escolhe bem seus mandatários, pelo menos o povo brasileiro. O povo, na essência e na sua grande maioria, é burro política e filosoficamente falando. Se povo fosse sábio, não era povo, para começo de conversa.
O futebol é um claro exemplo disso. Ele não quer um treinador competente, ele quer um Deus. Mesma coisa para a presidência da República. O povo quer Deus sentando no trono do Jaburú. À prova de falhas. O povo adora ser tutelado, como os egípcios e os árabes. Um Faraó seria uma boa ideia. Foi indicado por gente lá de cima e tem DNA celestial.
É isso que o povo quer, é disso que o povo gosta, como canta Berenice Azambuja.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »