O tratamento

26 jun • Caso do Dia1 comentário em O tratamento

 Cerveja pode ser mais eficaz que paracetamol no alívio da dor. Segundo novo estudo, o álcool reduz a intensidade da dor de forma mais efetiva que outros analgésicos. Cachaça muito mais. Depois de três doses, a dor reduz pela metade; depois de seis, perguntado se o paciente ainda sente dor ele responde: “Que dor?”

 Não é novidade. Nos filmes clássicos de faroeste era comum o mocinho tomar várias talagadas de whiskey para enfrentar a dor de uma cirurgia de extração de bala disparada pelo bandido.

 Certa vez, um médico me disse que havia um benefício do álcool que ele nunca relevava para seus pacientes chegados em uma garrafa: álcool eleva o colesterol bom. Imagina, é tudo que um borracho quer ouvir. Aliás, há muitos anos, contei a uma parente de minha mulher que a cerveja também continha substâncias benéficas para o coração e circulação semelhantes ao vinho. Ela ouviu com toda a atenção. Meses depois, voltei a encontrá-la e ela me puxou pela manga para me contar um segredo.

 – Sobrinho, como foi útil a tua dica. Comprei um engradado de Brahma e bebi todas em um dia e meio. Então estou curada.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

One Response to O tratamento

  1. Aranha disse:

    E só avisaram agora. Que desperdício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »