O ponto futuro

18 abr • Caso do DiaNenhum comentário em O ponto futuro

IMG_0484

Estrategicamente falando, sob a ótica do ponto futuro e de ações e reações, a turma do não ao impeachment, acampada na Praça da Matriz de Porto Alegre, é que deveria estar no reduto do sim, no Parcão. O governo Dilma está liquidado e estará mais liquidado ainda mesmo se o Senado rejeitar o impeachment. Terão todas as desculpas do mundo pelo fracasso da gestão petista.

Digamos que a corte revisora rejeite o processo de impeachment. Neste caso, o presidente da República de fato será Lula. Ele terá que fazer um milagre que nem Jesus no milagre das multiplicação de pão e peixes se arriscaria a prometer: colocar a economia de volta aos trilhos em poucos meses.

Se o Senado der curso ao processo, Dilma fica fora por meio ano, e aí, adeus, Tia chica. Mesmo voltando lá adiante. Se Michel Temer for confirmado presidente – pode não, porque se prevê nova batalha judicial –  ele terá mais tempo, especialmente se conseguir formar um ministério de notáveis e de ação rápida. Em ambos os casos, teremos um longo e tenebroso inverno de sacrifícios pela frente, pelo menos dois anos a pão e água.

Qualquer bola de cristal consultada vai se recusar a mostrar um quadro mais nítido. Há muitas variáveis principalmente sociais, além de um ilustre e normalmente desagradável convidado: o senhor Imponderável.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »