O poço

5 jun • A Vida como ela foiNenhum comentário em O poço

Domingo à noite, assisti ao último episódio da série Imagens do Estado Novo, que contou a história do Getúlio Vargas. Na campanha presidencial que tinha o Marechal Eurico Gaspar Dutra e o Brigadeiro Eduardo Gomes como candidatos principais, aconteceu o seguinte.

Um mês antes da eleição, surgiu um panfleto com uma frase do Brigadeiro que, se fosse hoje, dava cana.

– Não preciso de votos de marmiteiros.

Não dava cana, mas foi fatal para suas pretensões. Nas urnas deu o Dutra. A parte triste é que era fake. O Brigadeiro jamais disse aquilo.

Ainda sobre o Marechal. Os maldosos da Corte diziam que ele tinha uma cara de bunda (gorduchinho, bochechas largas, nariz espremido entre elas). O folclore conta que, certo dia, ele foi inaugurar um poço artesiano e botou a cara para ver o fundo.

Lá dentro, um operário dava os retoques finais gritou.

-Não aqui não, pelamordedeus.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »