O pastel divino

9 dez • A Vida como ela foiNenhum comentário em O pastel divino

Eu e o empresário Gilberto Petry, da Weco, indicado para ser o próximo presidente da Federação das Indústrias do RS, tínhamos um hobby: a busca do pastel perfeito. Achar o Santo Graal dos pastéis é muito difícil, vocês sabem. E até hoje o procuro e, para meu desgosto, os bons viraram maus e não vejo no horizonte da frigideira algum novo que desponte. Ah, sim, sou exigente mesmo, por isso é que a procura é pelo perfeito. E não me venham de borzeguins ao leito indicando pastel de madame em pleno regime, ou daqueles sofisticados que podem ser qualquer comida menos pastel.

E vou mais longe. Essa fina iguaria não precisa de muita invenção, como fazem com as pizzas. Tem que ser de carne ou camarão, com ovo se for de carne, uma azeitona para dar gosto. Vou até a carne com cebola, depois disso todos viram Frankenstein frito. Aí estou fora. Há muitos anos, eu e o Petry achamos um pastel quase perfeito em Osório (RS), mas, aos poucos, ele foi ficando imperfeito. Hoje, não é nem sombra.

Então eu e ele estamos fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »