O pacote

20 jan • A Vida como ela foiNenhum comentário em O pacote

Atrás de um avental que um dia já foi branco, o bodegueiro do balcão perguntou ao recém-chegado o que ele queria comer ou beber.

– Me dá um metro de cachaça.

O dono do pé-sujo fez um ar de enfado.

– Pô, meu, isso é mais velho que homem urinar pra frente. Na piada, eu despejaria um metro de cachaça no balcão.

O recém-chegado nem piscou.

– Pois então me dá um quilo de cachaça.

– Um quilo? Cachaça se mede por litro.

– E por acaso cachaça não pesa? Nem água nem outro líquido qualquer?

O cara do avental sujo ficou desconcertado.

– Bom, lá isso é verdade.

Pegou um vasilhame, botou na balança para ver a tara, e depois despejou cachaça até a agulha da balança Felizolla do tempo da II Guerra Mundial marcar um quilo.

– Pronto. Como o senhor vai levar o quilo? Não posso abrir mão do vasilhame.

Imperturbável, o cliente deu a dica.

– Embrulha em cinco pacotinhos de 200 gramas.

Foi a vez do bodegueiro devolver.

– Pena, não tenho papel de embrulho. Quem sabe trocamos por litro?

– Não mesmo. O cliente sempre tem razão, lembre-se disso. Vou começar de novo: quero um quilo de cachaça. Pode ser em garrafa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »