O lado ruim dos bondes

17 ago • A Vida como ela foiNenhum comentário em O lado ruim dos bondes

bondes

Todos nós curtimos o passado e temos saudades da Porto Alegre dos anos 1950 até o final dos 60, mas a verdade é que tudo tem um lado não glamoroso. Tenho por mim que nossa saudade é porque éramos jovens, então, e suspiramos pelos bondes nossos de cada dia. Na verdade, eram trambolhos barulhentos que seriam inadmissíveis hoje. Com suas rodas de ferro acordavam até defuntos da lomba do Cemitério. Já havia tecnologia para emborrachá-las, mas custava caro. E como todo estatal, não gerava renda para investimentos maiores.

Observem na foto como os “elétricos” ocupavam toda a extensão da rua. Como não havia portas, os quatro acessos eram livres para a entrada e saída dos usuários. Os carros que vinham atrás tinham que parar a cada parada e esperar o embarque/desembarque dos usuários. E como a falta de energia era uma constante diária, os bondes trancavam o fluxo. Era um martírio extensível para os passageiros.

Só quem viveu na época sabe como apinhava gente nos bondes. Na hora do rush, até um micróbio via dificuldades para se esgueirar. Você precisava se mexer pelo menos duas paradas antes da sua para chegar a tempo nas portas sem portas. Que, por sua vez, tinham dependurados cerca de meia dúzia de PINGENTES, como eram chamados os que davam chance para o azar. Que era frequente, por sinal.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »