O jacaré arteiro

25 mai • A Vida como ela foi, FabulinhasNenhum comentário em O jacaré arteiro

 Um alcoólatra acordou cedo e resolveu passear com seu jacaré de estimação. Entrou quietinho no elevador, mas uma vez fora do prédio, o sáurio desandou a dar rabeadas ou rabanadas a torto e a direito sem dar a mínima para os transeuntes. Quando viraram a esquina, o jacaré roçou o seu longo rabo nas coxas de uma bela mulher que passava.

 Nem dez metros depois, usou o rabo para enroscar a muleta de um pobre idoso. O dono do jacaré olhou-o com severidade, mas ele não deu pelota. Segundos depois, ele passou uma rasteira num cabra que carregava uma melancia. Foi a gota d’água. O dono se abaixou, olhou o jacaré bem nos olhos e deu o recado.

 – Jacaré, olha que eu passo no boteco da esquina, bebo um liso de cachaça e tu desaparece.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »