O horror, o horror…

11 jun • A Vida como ela foiNenhum comentário em O horror, o horror…

o grito

Na noite anterior eu tinha visto um documentário sobre os filmes de terror do diretor Roger Corman, um dos meus preferidos nos anos 1960. O traço de união na maioria destes filmes é o grito, ou gritos dos personagens imersos no mais profundo horror. Pois foi isso que ouvi quando estava entrando no meu carro na garagem do prédio. Mal sentei atrás da direção, ouvi um grito horripilante. E bota horripilante nisso.

Não era um grito normal, se vocês me entendem. Era do tipo longo, como alguém em agonia ou sendo devorado vivo por algum leão. Muitos segundos depois, o grito se converteu em um gemido de arrepiar os cabelos da nunca, coisa horrorosa. Em seguida, silêncio. Confesso que quase entrei em choque.

Como no chavão dos livros, reuni todas minhas forças e corri para a janela da garagem para ver a procedência dos uivos e gemidos prolongados. Bem na frente da porta há uma parada de ônibus. Os gritos vinham dos freios gastos e em estado crítico de um ônibus da Carris. Desde que começou a frear até a parada total, acentuado pelo fato de minha rua ser uma descida.

Imagem: Pessoas vetor criado por frimufilms - br.freepik.com" target="_blank">Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »