O destino dos ossos

14 mar • NotasNenhum comentário em O destino dos ossos

 Sobre esse negócio de sair do Brasil em definitivo e virar as costas para um sistema desumano de carga tributária e serviços de última, lembrei de uma história que se não tem muito a ver é por aí. Um dos mentores da Revolução de 1930, o tribuno João Neves da Fontoura, viu a Câmara Municipal de Cachoeira do Sul recusar uma homenagem proposta por um político local. Doeu mais ainda porque ele era da Cachoeira, como dizem os locais. Revoltado, pespegou a seguinte sentença:

 – Terra ingrata, não terás meus ossos!

 Fico me perguntado se esses milhares que estão saindo – e não os condeno, ao contrário – vão pedir que sejam enterrados no Brasil quando o amargo fim chegar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »