O desaparecimento das vovós

2 ago • Caso do DiaNenhum comentário em O desaparecimento das vovós

Fernando Albrecht fala sobre o desaparecimento das vovõs da cozinha, onde preparavam quitutes

 Em mais uma geração, se tanto, as receitas da vovó serão apenas um eufemismo ou referência ao modo de cozinhar de tempos passados. Há um bocado de tempo que ficar em casa sem trabalhar é para privilegiadas, que não querem ou não podem trabalhar fora ou porque o marido provém com folga o sustento ou porque elas simplesmente não querem.

 Para você ter uma receita de vovó, precisa de – além de ter uma – que ela tenha tido tempo para preparar pratos e quitutes para agradar filhos e netos. O grosso da população não terá mais vovós quituteiras pelo simples fato de que elas não tiveram tempo. Em chegar em casa de noite e ainda fazer comidinhas elaboradas. Mas há uma saída.

  Como a moda é pai na cozinha, não demora e teremos avô na cozinha. Já há tempos por sinal, mas ainda não formaram uma massa crítica. Mais ou menos no mesmo ritmo que as avós boas de fogão vão desaparecendo, surgirão os vovôs e suas receitas divinas.

  Então, finalmente, os homens ganharão uma das mulheres.

Imagem: Freepik

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »