O desaparecimento da música

6 fev • Caso do DiaNenhum comentário em O desaparecimento da música

Com todo o respeito, músicas como funk não são músicas pelo simples fato de que não têm melodia. E não é esse gênero musical, não. O tal de sertanejo universitário parece o som de um berrante dividido em dois ou três partes, e cada uma mais desafinada que a outra. São grunhidos tribais em redor do fogo acompanhados de percussão com batidas como se o cara estivesse sofrendo disritmia.
No entorno do tablado – a caverna ou o centro da aldeia de pau a pique para evitar predadores materiais e espirituais – lá estão os aldeões e as fêmeas à espreita do seu macho alfa dançando à luz da fogueira – hoje canhões de luz e efeitos visuais enlouquecidos à procura de alguma lógica.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »