O caso do quindim III

21 dez • NotasNenhum comentário em O caso do quindim III

Com um brilho assassino no olhar, fui atrás do quindim perdido e da larápia. Descobri ambos no banheiro. Ela escovando os dentes, ele, ao lado. Fiquei estupefato, como podia levar um doce feito de ovo e coco para o banheiro?  Foi uma eternidade até ela terminar a escovação, enxaguar a boca, limpar com a toalha de rosto e se dignar a me responder. Veio a revelação que liquidou com o pouco que tenho de espírito natalino e fé na humanidade. Acabou de vez. Ela disse-me assim, nem teve pena de mim.

– E tu ias comer um sabonete achando que era quindim! Não te deste conta que era uma imitação? E tem mais, vou ficar com ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »