A façanha

18 jan • A Vida como ela foiNenhum comentário em A façanha

Havia o Bira Tucho (ou Tuxo) e antes dele, o seu pai. Ambos com muitas histórias em Uruguaiana. O Bira veio para Porto Alegre nos anos 1960 e chegou a ser aluno do artista plástico Vasco Prado. O pai orgulhava-se da sua força, do muque como se dizia antigamente.

Certo dia, ele estava praticando um dos seus hobbies prediletos, amassar tampinhas de garrafas usando apenas o indicador e o polegar. E de forma fulminante, diga-se. Ao lado dele, um grupo de crianças admirava o esmagamento de tampinhas. O velho falou fazendo parede com a mão na boca.

– E é a mais forte que a companhia produz…

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »