O berro do touro

14 dez • A Vida como ela foiNenhum comentário em O berro do touro

Anos 1940. O general Flores da Cunha, interventor no Rio Grande do Sul, estava despachando no gabinete do Palácio quando chega um assessor fazendo o sinal de urgência.

– Fala.

– Chefe, está uma senhora de Palmeira das Missões dizendo que viajou um dia e meio para falar com o senhor.

– O que ela quer que requer tanta urgência?

– Pois é…ela quer que o senhor indulte o filho dela que está preso.

O general ficou estupefato com o pedido, onde já se viu uma coisa dessas. Se o filho estava preso é porque alguma ele aprontou. Disposto a deixar isso bem claro, mandou que ela passasse à sala. Assim que ela entrou, não deixou nem a senhora falar. Dedo em riste, disparou.

– Quer dizer que a senhora veio lá de Palmeira para pedir a soltura do seu filho? E por que não veio o pai dele para fazer um pedido invulgar como esse?

A senhora nem piscou.

– Por acaso o senhor general já ouviu touro berrar pela cria?

Flores da Cunha quedou pensativo por alguns segundos. Chamou o assessor.

 – Manda soltar o sujeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »