O anúncio do cigarros

7 abr • Caso do DiaNenhum comentário em O anúncio do cigarros

Cigarro queimando com cinza e brasa na ponta

Nestes tempos de desemprego, a busca por uma colocação exige sabedoria na hora de enviar o currículo. Parte é um desastre, com dados irrelevantes ou erros primários, que certamente as assessorias especializadas explicam melhor do que eu. O meu primeiro currículo – na realidade, não foram muitos porque você pulava de um emprego para outro, havia excesso de oferta. Invejem-me, filisteus.

O meu primeiro foi um desastre. Nem tinha 18 anos e resolvi que o jornalismo poderia esperar um pouco mais, primeiro eu tinha que fazer dinheiro. Então respondi a um anúncio de uma grande agência de propaganda que pedia um redator. Mandei. Marcaram entrevista. Deram-me um dia para criar um texto para anúncio de cigarros. Escrevi.

Fui mal. Gentilmente, o sujeito da agência me explicou que este tipo de produto exigia frases curtas e impactantes e eu havia escrito o primeiro volume da Enciclopédia Britânica. Agradeci muito, o cara me abriu os olhos ao fim e ao cabo. A gente aprende com os erros, e isso sempre foi uma máxima para mim.

Quando se analisa o primeiro escalão do governo, chegamos à conclusão que a maioria tem tantas qualificações, diplomas e experiências anteriores que dava para encher dois volumes da Enciclopédia Britânica.

Só que a eficiência deles na prática não encheria nem um anúncio de marca de cigarro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »