Na ignorância

29 mai • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Na ignorância

   Muitos conhecidos me abordam para que eu diga quando vai terminar a greve dos caminhoneiros ou se ela vai mais longe. Respondo que nem eu nem a mídia em geral sabemos. Pelas circunstâncias relatadas a seguir. Estamos mais por fora que umbigo de vedete, quando apareceu o biquíni.

O que se passa?

   A cobertura da imprensa tem sido falha no quesito o que realmente está acontecendo na massa dos caminhoneiros. Começa que há várias lideranças, algumas que nem representam a categoria. E o fato é que nós realmente NÃO sabemos o que se passa na cabeça dos caminhoneiros contratados e dos autônomos. Eles se autoalgemaram nas encruzilhadas estradeiras e, tirando a comunicação entre eles pelo Watts, realmente não sabemos. São imunes a qualquer pesquisa. Então não temos como descobrir se parte maior quer terminar ou quer continuar.

Voo caranguejado

   Podem ver o noticiário na TV. Sem fatos novos ou invasão do pensamento dos grevistas, resta aos comentaristas e repórteres viajar para o lado, com testemunhais nas filas e nas rodovias. Muito mais do mesmo desde quinta ou sexta-feira. Estamos, como no jargão da aviação, fazendo um voo caranguejado. Afinal, que se pasa, como dizem os castelhanos?

Estranhos no ninho

   Mesma coisa sobre o pensamento dos militares no seu conjunto, os meios castrenses. Até o final dos anos 1980, quando os jornais mantinham uma cobertura quase que diária sobre as Forças Armadas – ainda jogavam o jogo mesmo nas arquibancadas – talvez tivéssemos uma ideia precisa porque quem assinava essas páginas ou coilunas vivia o cotidiano desses citados meios. Hoje, não. Somos estranhos no ninho.

Raio X

Portanto, como colunista ou comentarista pode dizer o que se passa na cabeça deles, afora as manifestações de um ou outro alto oficial, e, às vezes, nem tão alto assim? Nossa pretensão em fazer Raio X de mentes alheias é limitadíssima. Parece mais uma abreugrafia, aquelas miniatuaras de radiografia comuns em décadas passadas, incapazes de detectar algo mais sério.

Pesquisa BigData

Já um pouco mais da metade da população (55%) desaprova a greve, segundo pesquisa realizada, pelo instituto Idea BigData, no fim de semana. Mas  95% desaprovam as ações do governo Temer para tentar por fim ao protesto e 66% são contra a política de preços da Petrobras, que leva em conta a cotação internacional do petróleo, para reajustar diariamente o combustível entregue às refinarias.

Jornal do Comércio

Leia e assine o JC clicando aqui.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »