Matou quem, cara-pálida?

19 set • NotasNenhum comentário em Matou quem, cara-pálida?

Quando se diz que a presença da Força Nacional de Segurança reduziu pela metade o número de homicídios em Porto Alegre, precisa dizer de que tipo de homicídios estamos falando. Números da Brigada Militar mostram que, em entre 80 a 85%, estão relacionados direta ou indiretamente às drogas, quer por guerra entre traficantes quer porque viciados assaltam e matam para obter dinheiro que servirá para comprar drogas.

 Portanto, o número homicídios passionais, por conflitos diversos ou porque o homicida estava bêbado não é afetado pela presença de mais policiais ruas. Polícia não impede ninguém de encher a cara. E estes casos não são tão altos comparados com os números macro.

 Então é a droga, sempre a maldita droga. E quem está na ponta é o usuário, e apenas cerca de 30% são realmente viciados. E nenhum deles era dependente na primeira cheirada ou fumada.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »