Memórias Mottianas

3 dez • A Vida como ela foi2 comentários em Memórias Mottianas

O caso de hoje é contado por Paulo Motta, querido amigo e um sujeito espetacular. Quando for grande, quero ser como ele.

ENCHUFAR

Olha, não sei se isso é verbo ou coisa parecida, mas lembro que a minha avó, a Cantídia, prima-irmã do Demêncio Ventana, meu tio em pó – foi cremado – me dizia: “Enchufa essa coisa na tomada pra gente poder ouvir a novela, guri!”.

“Essa coisa” era o negócio do rádio que vai na tomada de luz que dava energia elétrica que fazia o rádio Geloso a válvulas funcionar e podíamos ouvir a novela radiofônica Melodia Sinistra, sob a chancela da Farmácia Rex e da Casa Lord, lá na longínqua São Borja dos anos 60.

Nos dias de hoje ninguém enchufa mais nada. É tudo copiar, colar, recortar e, se não agradar, deleta, seu estúpido!

Talvez a minha geração seja mais criativa por ouvir rádio e ler gibis, que permitiam que nossas cabecinhas imaginassem coisas a partir de simples descrições, talvez. Muitos discos de vinil com histórias infantis nos faziam viajar na voz dos atores; eram apenas vozes, imaginem isso nos dias de hoje, seus impertinentes!

Não havia jogos eletrônicos nem essa televisão avassaladora que tem mais crédito do que tu, diante dos teus filhos, e amortece a capacidade criativa dessa criançada.

É mais fácil apertar um botão pra ligar a tevê do que abrir um livro. Livro dá preguiça, muita letrinha e pouca figurinha.

Quem sabe voltemos a enchufar coisas, abrir livros e ouvir mais do que falar, hein?

Tô ficando velho, amigas e amigos bandalhos.

Beijo carinhoso no fígado de vocês!

2 Responses to Memórias Mottianas

  1. Paulo Motta disse:

    Meu amigo Fernando Albrecht, encantado pela publicação do meu humilde texto no teu blog, hoje. Tuas generosas palavras me fizeram me sentir lisonjeado! Muito obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »