Iniciativas inovadoras em prol das campanhas políticas no Brasil

25 nov • ArtigosNenhum comentário em Iniciativas inovadoras em prol das campanhas políticas no Brasil

* Por Sérgio Lima

Não é novidade que a pandemia bagunçou os planos de muita gente em 2020 e, na política, não poderia ser diferente! Com o calendário eleitoral “entrando nos trilhos”, foram necessárias algumas adaptações para que os candidatos pudessem mostrar suas propostas e convencer seu eleitorado sem os tão famosos comícios e/ou showmícios ou o corpo a corpo com a população, práticas que estão suspensas por conta do distanciamento social.

Na última eleição presidencial, já conseguimos ver uma mudança significativa nas campanhas, que mesclaram o online e o offline, nos dando uma ideia de como seriam as próximas. Um exemplo disso foi o caminho tomado pela equipe do atual presidente Jair Bolsonaro, que apostou forte no digital, levando o então candidato ao cargo ocupado atualmente e, de quebra, tornando a estratégia um marco na história do marketing político no Brasil.

Isso foi possível também graças às mudanças de hábito da população, que agora está quase 100% do tempo conectada, seja por meio de um smartphone ou de um computador ligado à internet, com acesso total ao Facebook, WhatsApp, Twitter, entre outras. Prova disso é um estudo conduzido pela agência global de marketing digital e mídia social We Are Social que mostrou que 62% da população brasileira está ativa nas redes sociais.

Agora, em 2020, com a Covid-19, o que era antes uma tendência se tornou essencial. Afinal, os candidatos que não utilizarem esse tipo de mídia, ficarão a mercê das propagandas veiculadas pela televisão, que há muito tempo são ignoradas por grande parte das pessoas e ainda são restritas a alguns minutos ou até segundos, impossibilitando o candidato de explorar seu plano de governo.

Vale também apostar em vídeos online. Segundo a pesquisa Video Viewers, encomendada pelo Google e realizada pela Provokers, empresa de consultoria e pesquisa em marketing, nos últimos cinco anos, o crescimento no consumo de vídeos na web foi de 165% enquanto isso, o de televisão cresceu apenas 25%. O estudo mostra também que 9% da população brasileira já não acompanha a programação da TV.

Para atrair o seu eleitor com vídeos, vale apostar na transmissão de lives e, até mesmo, para a criação de vídeos mostrando suas propostas, seu dia a dia e até mesmo criando “quadros” de acordo com os temas que mais deseja enfatizar em seu governo. Porém, atenção! Eventos transmitidos com artistas online em prol de um determinado candidato são proibidos, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Se você busca uma ferramenta que tenha uma segmentação interessante, o Facebook pode ser uma boa opção. Ele permite que você selecione que tipo de público você deseja atingir, seja um grupo específico de pessoas que lutam por uma causa ou até mesmo bairros ou regiões em que você precise reforçar a sua presença.

Mas, lembre-se, utilizar as redes sociais é uma boa arma, uma vez que permite a amplificação de seu discurso, principalmente em tempos de isolamento social, entretanto, é necessário utilizá-la de forma consciente e evitar ao máximo a geração de fake news. A democracia agradece!

* Publicitário, empreendedor serial e um dos maiores marqueteiros políticos do país, com atuação na Aliança pelo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »