Firme em cálculos?

11 jan • A Vida como ela foiNenhum comentário em Firme em cálculos?

Simple savings formula

 Nem tinha 17 anos quando um amigo do meu pai perguntou se eu não gostaria de ganhar um dinheiro como frentista do posto de combustíveis dele. Como ficava do lado da minha casa, achei a ideia ótima. Primeiro, ele colocou uma série de questões básicas, teria que ser fora do horário da escola, procedimentos de segurança que eu teria que fazer, entre outras.

 Tem que esclarecer que todos os adolescentes daquele tempo queriam entrar rápido em um trabalho para ganhar alguns trocados que fosse. Não existia essa proibição de menor de idade trabalhar. Eu e muita gente da minha geração, hoje, damos graças a Deus por isso. Não pode isso e aquilo e, desse jeito, estamos criando poltrões ou florzinhas-não-me-toques. Então o amigo do meu pai fez a pergunta final:

 – És firme em cálculos?

 Puxa vida, não tinha contado com isso. Eu não era. Antes das calculadoras manuais, você tinha que fazer as quatro operações de forma rápida e precisa com lápis e papel. E do frentista exigia-se isso, para calcular quanto o cliente tinha que pagar por xis litros de gasolina vezes o preço quebrado do litro. Acabei não conseguindo o emprego porque eu não era bom em cálculos.

 Há pouco tempo, lembrei desse episódio e fiquei matutando qual seria meu futuro financeiro se eu tivesse conseguido o emprego de frentista. E à luz de hoje, foi até bem melhor. Naqueles tempos, a bomba não fazia CLIC quando a gasolina atingia o sensor. Tinha de saber quando o taque estava cheio no olho e, principalmente, no ouvido.

 Imagina uma bomba sem CLIC.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »