Eu vou, mas quem não vai?

6 out • Caso do DiaNenhum comentário em Eu vou, mas quem não vai?

É lugar comum dizer que os maiores críticos do capitalismo e dos Estados Unidos em especial no fim gostam do american way of life e tiram férias lá. Mas é a realidade, e quase sempre para ganhar dinheiro e ter uma vida melhor e com mais qualidade. E sem precisar de grades em volta da casa, aliás. Muitos equatorianos usam de um estratagema para conseguir o green card: quando as suas mulheres engravidam, vão parir os filhos nos EUA.

É uma manobra bolivariana de entrar no mundo novo capitalista sem precisar abdicar das convicções originais, que a esta altura são tão falsas quanto uma nota de 30. A esquerda em geral detesta o Estado Islâmico, e sabem por quê? O motivo é que os caras inventaram de jogar bombas e se autoexplodir justo na cidade onde eles tiram férias e comem em restaurantes que estão no Guia Michelin.

Já não se fazem mais ascetas como Lênin.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »