Esfiha só

30 nov • Momento culinárioNenhum comentário em Esfiha só

Ir ao restaurante Lubnnan em Porto Alegre é uma boa oportunidade para saber detalhes de como os libaneses imprimiram sua veia comercial e de negócios no Rio Grande do Sul. O dono Charif Lubnnan, 93 anos e desde os 21 anos no Brasil, conta que começou sua vida como mascate em Santos, por onde adentrou no Brasil. Passou pelo Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e desembarcou, em 1954, no Rio Grande do Sul depois de ouvir que “é o melhor lugar para se viver no Brasil”.

Quem não gosta de kibe?

Lubnnan conta que abriu e vendeu mais de 15 lojas que se se chamavam Casa 3 Irmãos, referência a ele e aos irmãos sócios, todas especializadas em tecidos (que predominava nas primeiras décadas), roupas prontas e armarinho, e todas localizadas na zona norte, entre a rua Benjamin Constant e Assis Brasil. O libanês vendeu também carros e até imóveis, quando este mercado começou a se expandir, nos anos de 1990. “Comprava casa velha, reformava e vendia”, recorda. “Vendi muito apartamento assim.”  O Lubnnan está na rua Cristóvão Colombo, 727, quase ao lado do Shopping Total.

O mundo em cápsulas

Giane Guerra outra vez. A colunista de ZH informou que a tradicional produtora de erva-mate Barão está lançando cápsulas de chimarrão. Só quero ver a reação – ou não – do Movimento Tradicionalista Gaúcho, rígido controlador dos usos e costumes gaúchos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »