Em busca do croquete perfeito

22 fev • A Vida como ela foiNenhum comentário em Em busca do croquete perfeito

 Até hoje procuro o Santo Graal dos croquetes e dos pasteis. Em princípio, pastel bom é de Rodoviária do interior. Já o croquete se divide em dois subtipos: o puro por origem (PPO), feito com carne moída bem fininha. Um bom exemplo é o da Caverna do Ratão, em Porto Alegre, na Protásio Alves esquina com Eça de Queiroz. O segundo é o croquete Lavoisier, aquele em que nada se perde e tudo se transforma (CL). O gosto depende da matéria que já foi prima mas não é mais. Pode ser bom ou uma droga. É a Loteria do Croquete.

  O causo que se segue quem despejou nos ouvidos do jornalista Paulo Burd contou foi Jorge Carlos Magalhães, o Magu. Uma turma de jornalistas costumava se reunir num boteco no Centro de Porto Alegre para beber e, como tira-gosto, um croquete com um tempero incrível. Um toque perfeito de sal. A turma sempre perguntava pro bodegueiro qual o tempero, queriam cumprimentar a cozinheira. O bodegueiro desconversava, dizia que o segredo era a alma do negócio e não deixava ninguém entrar na cozinha.

  Até que num dia alguém do grupo fez uma sórdida manobra para desviar a atenção do dono do botequim e invadiu a cozinha para descobrir o segredo do tempero do croquete. Fazia um calor dos demônios. E, numa imensa frigideira, estavam os croquetes. À frente, um negro enorme, suando às bicas, e com um braço só. Com a mão restante tirava um punhado de carne de uma bacia, enrolava na pança suada e atirava no óleo fervente.

  Era o segredo do sal perfeito.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »