Doril cósmico

26 jan • Caso do DiaNenhum comentário em Doril cósmico

Não chega a ser uma abordagem totalmente nova dentro do conceito espaço-tempo, mas é instigante a conclusão de um estudo do astrobiólogos Aditya Chopra e Charley Lineweaver, da Universidade Nacional Australiana: os ETs não dão a cara de verdade porque estão extintos. Kaput. Todos eles, e há bilhões de anos. A matéria foi publicada na Folha de S.Paulo.

A ideia básica da dupla é que só estamos nós por aqui agora porque a Terra teve a sorte de ver surgir o tipo de vida certo na hora certa. No início, pelos menos três planetas eram potencialmente habitáveis: Vênus, Terra e Marte. Sobrou só nossa casinha. Essa é a famosa (e controversa) hipótese Gaia, formulada por James Lovelock e Lynn Margulis.

Deixem eu botar uma mosca na sopa: isso no Sistema Solar. Sabendo-se que existem trilhões de galáxias, quantos fomos e quantos somos realmente? Como as distâncias se medem em bilhões de anos luz, nunca saberemos. A não ser se as teorias do buraco de minhoca se materializaram.

Só quem tem essas respostas é o marxismo, mais vivo que nunca. O marxismo é a única ideologia ou filosofia que tem resposta para tudo, da unha encravada à composição do espaço sideral.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »