Consummatum est

16 ago • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Consummatum est

No último dia, o PT entrou com o pedido de registro da candidatura de Lula à Presidência do Brasil. Como é provável, o TSE deve fechar às portas à sua candidatura, então entra o estepe Fernando Haddad, vice hoje. Depois disso, Lula ainda pode recorrer ao STF. Se cair na 2ª Turma, ele tem chance. É sério.

Mas nem tanto

A legislação eleitoral brasileira é tão cheia de meandros e bizarrices – aliás, toda ela – que até o impossível pode acontecer.

O Conde tinha razão

Responsável pela reunificação da Alemanha, o chanceler Otto von Bismarck disse uma frase imortal, não convém ao povo saber como se fazem leis e salsichas. Isso que ele não conheceu o Brasil.

A poupança de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou um patrimônio de R$ 7.987.921,57 no registro de sua candidatura. O bem maior do petista é referente a um plano de previdência privada equivalente a R$ 6,3 milhões.

Nova versão

Em junho, informou a Coluna do Estadão, o ex-presidente disse ao Judiciário que os bens dele e da ex-primeira-dama Marisa Letícia somavam R$ 12,3 milhões. Depois retificou o valor alegando “erro de digitação”. Na última eleição que concorreu, em 2006, Lula declarou ter R$ 839.033,52 em bens. Naquele ano, o petista foi reeleito para o cargo de presidente da República.

Ricos & pobres

Fernando Haddad, pobrezinho, tem apenas R$ 428,4 milhões, em números redondos. A questão fica assim: Henrique Meirelles do MDB declarou mais de R$ 300 milhões, menos que João Amoêdo, do Novo, com R$ 417 milhões. Então perto dos dois Lula é, não digo pobre, mas remediado no confronto. Já para quem percebe salário mínimo ou na faixa em torno de R$ 5 mil mensais, Lula é um bilionário.

Inglês sabido

A frase do escritor inglês Somerset Maughan é em homenagem aos cientistas políticos e previsores prático-militantes afeitos ao ofício. E, pensando bem, também serve como uma luva para os previsores do tempo.

Trote Solidário

 O Trote Solidário 2018, iniciativa do Simers e seu Núcleo Acadêmico volta nesta sexta e sábado, reunindo centenas de calouros e veteranos de Medicina da Ufrgs, Pucrs, UFCSPA, Ulbra e Feevale. Entre as principais atividades, está a doação de sangue e arrecadação de alimentos. Em 2017, os jovens doaram 730 bolsas de sangue que beneficiaram mais de 3 mil vidas e foram arrecadadas mais de 35 toneladas de alimentos não-perecíveis, encaminhadas ao Banco de Alimentos, parceiro do Simers na ação.

Encolhimento

Esse negócio de abreviar palavras não é coisa dos tempos modernos. Para começar, a tendência é encurtá-las e temos muitos exemplo. Na gíria, lembro de uma dos anos 1960: “satisfa”, de satisfação. Quando se apresentava alguém ou se recebia uma boa notícia lá vinha o satisfa. Servia também como cumprimento.

Porém…

…nem todos que usavam essa palavra conseguiam pronunciá-la corretamente. Por algum motivo, a língua tropeçava nos dentes e saía “sastisfa” da boca de muita gente, em especial os de pouca instrução. Mas a palavra inteira o cabra não tinha problema. Vá entender os estranhos caminhos da mente e as ordens que manda para as pessoas físicas.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »