Comida de rico – o estrogonofe

24 nov • A Vida como ela foiNenhum comentário em Comida de rico – o estrogonofe

Estrogonofe é um prato tão comum que ele é encontrável até em pé-sujo. Nem requer muita prática e habilidade. Acredite já foi considerado prato de rico. Quando alguém com padrão alto se casava, as comadres se punham a fofocar nas cercas das respectivas casas.” Imagina, Dorilda, teve até estrogonofe…”. Depois falavam no vestido da noiva e do porre de algum familiar dos noivos.

Mais realistas, os homens repetiam que estrogonofe era um picadinho metido a besta. Era e é mesmo. Picadinho por picadinho, prefiro o ensopado com batata. No final dos anos 1950, passou um filme de um nobre russo chamado Miguel Strogoff. Pronto. Lá se foi a plebe rude e ignora a rebatizar “a fita” de Miguel Estrogonofe. Coitado do nobre russo.

Outro prato considerado nobrérrimo era o singelo fricassè de galinha. Nunca fui fã, embora tenha sido o prato principal no meu casamento. Te mete. Ambos, o estrogonofe – se pronunciava strogonof – e misture aviária, só perderam o glamour nos anos 1980. Tem que lembrar que até o surgimento dos aviários modernos com consequente diminuição do preço, a galinha era cara.

Dizia- se que, quando pobre comia penosa, gíria da época, um dos dois estava doente. Só se comia em festas familiares sob forma de galinhada, quando a ave já não botava mais ovos. Em vez de aposentadoria, ia pra panela, coitada.

Só não confundam risoto com galinhada, que é muito, muito melhor. Risoto é uma galinhada no jardim de infância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »