Cartas fechadas

15 jul • NotasNenhum comentário em Cartas fechadas

Por sua vez, as cartas abertas substituíram em parte os “a pedidos” e com a proliferação delas foram perdendo o interesse do leitor, salvo aquelas em que os signatários compram um largo espaço nos jornais e determinem a página, ímpar no mínimo – você tem a tendência de ler primeiro as páginas ímpares, daí porque custa mais caro anunciar nelas. Com um ar pomposo vieram depois as cartas da cidade tal, Carta de Porto Alegre, por exemplo. Não é atração extra. O velho e bom “a pedido”, curto, com letras grandes e escrito por quem sabe escrever é o segredo. Ocorre que leigos querem comprimir milhares de toques em um espaço pequeno. Sabem o que é isso: jogar dinheiro fora e pedir encarecidamente para que ninguém leia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »