Caça à baleia

15 set • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em Caça à baleia

Terminou ontem a Conferência Internacional da Baleia, realizada nesta semana em Florianópolis. No último dia, uma votação importante terminou com a garantia da proteção desses animais contra a caça comercial. Com isso, fica mantida a moratória desta prática, com a exceção de casos para subsistência de alguns grupos, como esquimós.

Os esquimós

Seria muito ruim se a caça desse cetáceo fosse novamente liberada. O lobby incluía o Japão e dois países nórdicos. No caso dos esquimós, as aldeias caçam para sobrevivência – uma alimenta um povoado inteiro. Usam tudo delas, couro, barbatanas, cartilagens, ossos. Quando não é para comer, é para erguer barracas ou fazer artesanato. Diferente de fazer pesca industrial.

Já comi

O porto-alegrense já comeu carne de baleia. Comeu e não gostou. No final dos anos 1950, o governo importou grande volume desta proteína para fazer frente ao alto preço da carne bovina. O povo detestou e eu fui um deles. É fibrosa, gordurosa, fica um gosto estranho na boca. OK, há quem goste, mas afastem de mim este cálice.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »